Quem somos

Conheça um pouco sobre a história, a proposta do canal e o que fazemos.

Saiba mais

Cadastre CV

Coloque seu perfil disponível às empresas que utilizam nosso serviço.

Cadastre agora

Cadastre vaga

Divulgue sua vaga gratuitamente e encontre os melhores profissionais.

Cadastre agora

Banco de CV

Base atualizada de currículos de profissionais para seu RH.

Solicite agora

Cases

Conheça a experiência que alguns assinantes tiveram utilizando o serviço

Confira

Newsletter

Assine e receba nossas oportunidades, vagas e informações em seu email.

Cadastre seu contato
________________________________________________________________________________________________________________________________________

Fundo para Jornalistas independentes e documentaristas

Jornalistas independentes e documentaristas que focam em violações dos direitos humanos podem solicitar apoio financeiro.

O Forum Freelance Fund oferece a Bolsa Portenier de Direitos Humanos, patrocinada pela cineasta Giselle Portenier. Os candidatos devem demonstrar um claro interesse ou histórico em lançar luz sobre os abusos dos direitos humanos e planejar uma próxima tarefa ou projeto com um foco em direitos humanos.

O prêmio está aberto a freelancers em todo o mundo, experientes ou iniciantes. O vencedor receberá até CAD3.000 (US$2.335) para treinamento de segurança em ambientes perigosos do AKE, Columbia Journalism School, Centurion, 1st Options Security, Global Journalist Security, Pilgrims Group, Remote Trauma, Tundra Group ou TYR Solutions.

Mais informações: http://bit.ly/1XkF70q

Curso de arte e fotografia online e gratuito

Se você gosta de tirar fotos e está a fim de levar seus conhecimentos sobre a arte a um outro nível, essa pode ser a chance. O MoMA (Musem of Modern Art, ou Museu de Arte Moderna) de Nova York disponibiliza um curso online totalmente gratuito.

São seis aulas, que podem ser assistidas quando e onde o aluno quiser. Quem as ministra é Sarah Meister, curadora da seção de Fotografia do Museu. Ela selecionou obras do acervo do MoMA para contextualizar, analisar e explicar as técnicas que levaram aos resultados.

Além de Sarah, outros nomes de peso participam do curso, como Marvin Heiferman, autor do livro “Photography Changes Everything” (“A Fotografia Muda Tudo”), e Quentin Bajac, curador-chefe do MoMA.

Para obter o certificado de conclusão do curso é necessário, além de assistir a todas as aulas, passar em uma prova. Segundo Sarah, a ideia é que os alunos estejam capacitados a lançar um “olhar crítico sobre as diversas ideias, abordagens e tecnologias do fazer fotográfico”.

Mais informações e inscrição: http://bit.ly/1TdiRWS

Bolsas p/ mulheres Jornalistas

Jornalistas mulheres com três ou mais anos de experiência profissional podem concorrer a bolsas de reportagem.

A International Women’s Media Foundation, com o apoio da Secular Society, convida candidatas para as Bolsas de Reportagem Sobre Histórias das Mulheres.

A iniciativa visa promover a elaboração de reportagens sobre histórias não contadas sobre questões de impacto na vida diária de mulheres e meninas em todo o mundo.

As bolsas, em média de US$5.000, podem cobrir os custos relacionados com as reportagens, incluindo viagens (aéreas, transporte terrestre, motoristas), logística, taxas de visto e pagamento para fixadores/tradutores.

Os pedidos serão aceitos durante o ano todo. O apoio será concedido em agosto, dezembro e abril.

Mais informações: http://bit.ly/24H2JPm

Cursos online de jornalismo

Qualquer pessoa pode assistir a três cursos gratuitos oferecido em português.

A Énois, uma escola para jovens de ensino médio que usa o jornalismo como ferramenta de experimentação, apresenta uma série de cursos online.

“Como se tornar um pesquisador” vai ensinar a treinar o olhar do participante para desenvolver pesquisas sobre qualquer assunto e em qualquer ambiente.

Em “Como hackear a cidade”, os participantes são encorajados a desenvolver um projeto de intervenção urbana.

“Como fazer um videodocumentário” é um módulo básico de cinco aulas sobre produção de videodocumentários. O programa inclui técnicas e conceitos de jornalismo e produção em vídeo, como reportagem, pauta, apuração, narrativa e roteiro.

A escola de jornalismo também apresenta transmissões ao vivo no Facebook das 14 às 17 horas nas terças e quintas.

Infos: http://escoladejornalismo.org/cursos

Curso de Inglês grátis para universitários e pós-graduandos

Para participar, o interessado deve se cadastrar no sítio oficial do My English Online e, no caso dos estudantes de universidades privadas, ter obtido uma média de 600 pontos ou mais no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)

A iniciativa está disponível para alunos de instituições públicas e privadas brasileiras. As aulas começam com um teste de nivelação do idioma e terminam no módulo avançado, com conteúdos voltados para exames de proficiência, como TOEFL.

Para participar, o interessado deve se cadastrar no sítio oficial do My English Online e, no caso dos estudantes de universidades privadas, ter obtido uma média de 600 pontos ou mais no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), considerando as edições a partir de 2009. Após a efetivação do cadastro, o aluno tem até 45 dias para iniciar as aulas.

Dividido por níveis de estudo, o curso conta com cinco módulos de aprendizado, sendo que cada um deles deve ser concluído em até 180 dias. Além das aulas, os estudantes poderão consultar uma série de materiais em linha (online), como livros, exercícios, atividades para treino oral, dicionários e testes.

Mais informações sobre o curso e inscrições: http://www.myenglishonline.com.br/

Cursos online gratuitos de mídia digital

Qualquer pessoa pode acessar estes cursos online gratuitos em português.

O Instituto Tim, através da iniciativa Tim Tec, oferece cursos para iniciantes na mídia digital.

A lista de cursos inclui “Edição e Tratamento de Imagens”, “Publicação Digital em Dispositivos Móveis”, “Produção de Vídeos Educacionais para a Web”, além de temas mais voltados para a área de tecnologia, como “Introdução à Criação de Sites”, Introdução ao Uso de Bancos de Dados e SQL” e linguagens de programação.

Os curso estão abertos e podem ser baixados a qualquer hora.

Mais informações: http://timtec.com.br/pt/lista-de-cursos/

Cursos gratuitos para Jornalistas

Depois da primeira experiência de oferecer a jornalistas um curso gratuito sobre handebol, com apoio da Federação da modalidade, realizado em setembro último, a Universidade Sindi-Clube, no ano dos Jogos Olímpicos, amplia sua ação.

Em parceria com a Aceesp (Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo), os profissionais de imprensa terão um programa que vai dar informações sobre regras, aspectos técnicos e táticos dos esportes que serão disputados no Rio de Janeiro, a partir de 5 de agosto.

Estudantes de jornalismo também poderão participar das atividades.

Essa ação também é apoiada por federações e confederações, que indicaram os expositores dos conteúdos dos cursos sobre as modalidades.

Haverá transmissão via internet das palestras, que permite a participação de interessados de todo o país.

Inscrições por e-mail

O objetivo da Universidade Sindi-Clube e Aceesp é oferecer cursos das 42 modalidades em disputa no maior evento esportivo do mundo.

Os primeiros já estão confirmados. As exposições farão uma abordagem geral de cada esporte olímpico, com breve histórico do seu surgimento, regras de arbitragem, táticas e técnicas de jogo.

As atividades são gratuitas para jornalistas e estudantes de jornalismo.

Para participar, é necessário encaminhar e-mail para cursos@sindiclubesp.com.br, com as seguintes informações: nome completo, empresa, e-mail, telefone e, caso tenha interesse em receber a Revista dos Clubes, endereço completo.

Mais infos: http://bit.ly/25RQWl7

Curso gratuito de Jornalismo digital

Iniciantes em jornalismo podem se inscrever neste curso online.

O curso Jornalismo Digital é oferecido em português pela Prime Cursos a qualquer hora e no ritmo do aluno.

O programa do curso cobre temas como a TV digital; pirâmide invertida – Como escrever para Web; redes sociais; microblogging; jornalismo videogame; geolocalização; aplicativos para jornalistas; e mais. A carga horária é de 40 horas.

O curso é gratuito, mas interessados em receber um certificado de conclusão devem pagar uma taxa administrativa.

Infos: http://publy.ca/CXke

Curso grátis de fotografia em Harvard

Se você trabalha, estuda ou tem interesse em fotografia, não perca essa oportunidade de incrementar os seus conhecimentos sem precisar sair de casa! A Universidade de Harvard, em parceria com a Alison.com, oferece um curso a distância grátis de fotografia, com duração de 10 a 15 horas.

O Curso

O curso aborda os principais temas sobre a fotografia digital, que incluem: configurações de exposição; leitura de histograma; trabalho de sensor da câmera; lentes da câmera; processamento de fotografia utilizando o software de computador, entre outros. Após a conclusão do curso, o aluno terá domínio sobre o funcionamento das câmeras digitais.

Os vídeos do cursos gratuitos de Harvard são disponibilizados pela Open Learning Initiative da Escola de Extensão Harvard. Os módulos do curso podem ser acessados através da página oficial: http://bit.ly/1Kx8UZr

Antes de realizar o primeiro acesso, o estudante deve se cadastrar aqui: http://bit.ly/1Kx91nD

O curso emite um certificado de conclusão para os estudantes que completarem todos os módulos e pontuarem 80% ou mais em cada uma das avaliações.

Jornalistas de vídeo Freelancers

Jornalistas de vídeo na União Europeia e além podem se candidatar para trabalharem de seus próprios países.

ICF Mostra, uma agência especializada em campanhas de informação pública em toda a União Europeia, está à procura de freelancers em todo o mundo para entrevistar, filmar e editar vídeos localmente.

Os candidatos devem ser interessados em questões europeias, como o ambiente, a saúde, empresas, educação, cultura, justiça e muito mais; ter um bom conhecimento dos aspectos políticos, ambientais, sociais e econômicos de seu país; trabalhar no formato de HD; e ter boas habilidades de comunicação verbal e escrita em inglês.

Mais infos: http://goo.gl/AB3mRD

Bolsa de reportagem

bolsa2Jornalistas e equipes de jornalistas podem apresentar um projeto para esta nova bolsa.

A Alliance for Science da Universidade de Cornell está aceitando inscrições para bolsas jornalismo científico agrícola. O programa visa promover reportagem em profundidade e contextualizada em tópicos/questões relacionadas com a segurança alimentar, a produção agrícola, biotecnologia e práticas agrícolas sustentáveis.

Há duas categorias de bolsas de estudo: as prêmios individuais de US$5.000 a US$15.000 e prêmios de jornalismo colaborativo de até US$25.000. Equipes colaborativas devem incluir dois jornalistas, um de um país em desenvolvimento e o outro de um país desenvolvido.

As inscrições estão abertas.

Mais informações: http://goo.gl/Pii3DK

Bolsa de viagem para jornalistas

bolsa2Jornalistas em todo o mundo podem se inscrever para uma verba de viagem para cobrir populações que aparecem pouco na mídia.

O Pulitzer Center on Crisis Reporting está aceitando propostas de projetos de jornalistas, escritores, fotógrafos, produtores de rádio, cineastas ou freelancers de qualquer nacionalidade.

O programa vai fundar os custos de viagens internacionais associados a projetos de reportagens sobre temas e regiões de importância global. O candidato deve provar que sua matéria será distribuída nos Estados Unidos ou Europa.

O valor de bolsas de viagem individuais dependerá do projeto específico e planejamento do orçamento detalhado. A maioria dos prêmios está na faixa de US$5.000 a US$15.000.

As inscrições são aceitas durante o ano todo.

Mais informações: http://goo.gl/APxDC3

Cuidado com as promessas de contratações

entrevista-trabalho-curriculo-emprego-1376690910058_615x470Saiba como identificar e evitar cair nos golpes das falsas promessas da garantia de emprego

O recrutamento on-line é atualmente a forma mais rápida e prática de se recrutar candidatos e uma tendência irreversível cada vez mais presente no mercado. Sites de divulgação de vagas e especializados em recrutamento, recebem todo dia milhares de currículos e cadastro de candidatos em busca de (re)colocação profissional. O número de empresas que apostaram nessa nova ferramenta de captação e disponibilizam as vagas em sites com esta finalidade, cresceu vertiginosamente na última década. Do outro lado, os profissionais tiveram um aumento no acesso às ofertas e atualmente fazem da web o principal canal para conseguir uma colocação ou retornar ao mercado de trabalho. No entanto, há nesse meio algumas empresas que atuam de forma ilícita fazendo propagandas enganosas e falsas promessas aos profissionais, agindo de má fé com aqueles que estão desempregados. Empresas picaretas que prometem recolocação profissional e oferecem aquela vaga justamente com o seu perfil, mediante pagamento de um valor, geralmente alto, para quem quer a oportunidade. Normalmente eles justificam a cobrança informando que é o custo para aplicação de testes ou serviços de RH, mas na verdade a vaga, na maioria dos casos, nem existe. Por isso tome cuidado com empresas, agências, consultorias ou headhunters que cobram para que candidatos sejam indicados para uma determinada oportunidade ou lhe passem a certeza que você conseguirá a vaga. As agências, consultorias ou headhunters já são pagas pelas empresas contratantes para realizar os processos de seleção, não justificando qualquer tipo de cobrança do candidato à vaga. Lembrando que existem serviços prestados por algumas dessas empresas onde são lícitos e pertinentes a cobrança, como produção e análise de currículos, treinamentos e orientações sobre como se comportar em uma entrevista, simulação de entrevista, entre outros. São serviços onde não existe a falsa promessa da garantia do emprego e onde não é cobrado do candidato nada para participar de processos seletivos. Por isso é importante separar o certo do ilícito,  para  não entrar em nenhum tipo de golpe.

 

Listamos alguns comportamentos que podem indicar ilicitudes:

1- Contatam o profissional informando da existência de uma vaga maravilhosa, com um salário bem acima do mercado e da sua pretensão salarial.

2-  Informam sobre a vaga ofertada mas não informam o nome do contratante, o endereço, e nem o ramo de atividade. Só falam sobre cargo e salário. No informe sobre a vaga é aceitável, mas num contato mais direto, já recrutando para processos de entrevista, desconfie.

3- Solicitam que o candidato se desloque para entrevista (que tem que ser urgente) em outra cidade/estado, mas não disponibilizam, passagem, motorista, hotel, etc.

4- Marcam a entrevista para o dia seguinte ou no mesmo dia.

5- No primeiro contato informam que a empresa exige que sejam feitos testes psicológicos e estes serão cobrados. Geralmente exigem que você pague já.

6- Se o candidato perguntar se pode pensar, pressionam tentando convencê-lo a qualquer custo.

7- Pressionam o candidato para que este assine um contrato com eles com validade de um ano. Prometem nesse período recolocação em grandes empresas, orientação profissional, treinamento, etc.

8- Pedem para o candidato assinar um contrato no qual ele, em que se admitido, este se compromete a lhes pagar um percentual (geralmente entre 50% ou 80%) dos primeiros salários. Segundo os fundamentos e regras do Direito do Trabalho, a agência não poderá arrecadar quaisquer tipos de taxas, honorários, encargos ou percentuais sobre salários futuros dos trabalhadores.

Dica da COUT:  Quando entrarem em contato com você (geralmente acontece via telefone) para concorrer a uma determinada oportunidade solicite as seguintes informações:

  • O nome completo de quem está ligando
  • O endereço da consultoria/agência
  • Telefone fixo
  • E-mail de quem está telefonando

Com esses dados faça uma pesquisa no Reclame Aqui, Google, Facebook e LinkedIn e veja o que vai encontrar. Procure referências sobre a consultoria/agência. Desta forma você irá minimizar muito a possibilidade de ser enganado por esse tipo de picaretagem.

 

Confira mais dicas para sua carreira aqui 

Respostas para as perguntas mais frequentes em entrevistas de emprego

interviewSeguem as perguntas mais enfrentadas em entrevistas de emprego:

 

  1. Você se considera a melhor pessoa para esse trabalho? Por quê?

A melhor maneira de responder é oferecendo exemplos concretos das suas conquistas e habilidades. Compare as exigências da vaga com o seu perfil para que o recrutador veja que você é o mais indicado para a vaga.

 

  1. Você é bom demais para esse trabalho?

Você pode responder mais ou menos assim: “bom demais? Alguns diriam que eu não sou bom demais, mas tenho todas as habilidades necessárias para este trabalho. E, mesmo que eu fosse bom demais, tem algum problema de contratar quem trabalhar melhor do que o esperado?”

 

  1. Descreva uma experiência difícil no seu trabalho e como você lidou com ela.

Dê exemplos concretos do que já aconteceu no seu trabalho, depois discuta como você resolveu o problema. Seja positivo, o problema tem que acabar bem.

 

  1. Descreva-se.

O recrutador não quer uma resposta de 10 minutos. Ofereça frases que te destaquem entre os outros candidatos e que abram espaço para outras discussões.

 

  1. Descreva o melhor e o pior chefe.

Diga que você aprendeu algo, não importa com qual chefe você teve. Você pode, inclusive, afirmar que, com os bons chefes, você aprendeu o que fazer e, com os ruins, o que não fazer.

 

  1. Fale sobre seus objetivos profissionais.

Com essa pergunta, o recrutador quer saber sobre as duas decisões. Quer saber se você não entrou no seu campo por acaso e está ali também por acaso. Alguém que saiba tomar bem decisões será um ótimo chefe.

 

  1. Fale sobre seu estilo de trabalho.

Não adianta só falar que vocêé rápido. Os recrutadores não procuram isso. É melhor dizer que você é eficiente, organizado, focado e, devido a isso, você termina as suas atividades mais rapidamente.

 

  1. Você prefere trabalhar sozinho ou em equipe?

Responda que está apto e se sente bem de realizar os dois tipos. Ofereça situações que sustentem sua afirmação.

 

  1. Você leva trabalho para casa?

“Quando necessário, sem problema. Eu entendo a importância trabalhos que precisam ser realizados até tal dia impreterivelmente.”

 

  1. Dê alguns exemplos de trabalho em grupo.

O recrutador quer saber como você trabalharia com a equipe do lugar no qual você está prestes a integrar. Dê exemplos válidos de trabalho em grupo, nem que tenha que ser da faculdade.

 

  1. Você já teve dificuldade para trabalhar com algum gestor?

Esta pergunta é complicada e deve ser respondida com atenção. Nunca diga que vocês não se davam por motivos banais e, sim, porque vocês tinham opiniões e expectativas diferentes. Um bom modo de resolver isso é sentar e conversar. Mas não exagere na crítica ao seu antigo chefe.

 

  1. Você já ficou bravo no trabalho? O que houve?

“Bravo para mim é perda de controle, algo que nunca acontece comigo. Quando estou estressado, paro, respiro fundo e começo a pensar em como vou resolver o problema.”

 

  1. Como você lida com a pressão?

Uma boa forma de responder é: “eu lido com situações, não com pressão ou estresse. Desta forma, eu batalho e resolvo o problema, não o estresse.”

 

  1. Como você mede sucesso?

“Eu avalio sucesso de várias formas. No trabalho, é cumprir as metas que me foram passadas e quando a empresa inteira cumpre seu objetivo. Também acho que uma boa empresa é aquela que, não somente gratifica o sucesso, mas que oferece oportunidades de crescimento pessoal e profissiona.”

 

  1. Por quanto tempo você espera trabalhar aqui?

Responda que até quando você tiver a oportunidade de continuar ou até quando seus serviços forem necessários.

 

  1. Quais são suas aspirações de salário?

Primeiramente, pesquise qual é a média de salário para a sua profissão, para o que você fará na empresa e balanceando o seu valor. Uma vez feito isso, você tem várias opções. Citar o salário base da sua ocupação e espera uma proposta, daí você pode dizer que vai pensar ou, simplesmente, não. A resposta negativa pode oferecer um salário mais alto, porém é mais arriscada. Aja de acordo com as suas necessidades.

 

  1. Descreva o seu ritmo de trabalho.

Novamente, não adianta dizer que você é rápido. Responda que você trabalha num ritmo equilibrado e mediano, mas que sempre termina os afazeres antes do que foi combinado.

 

  1. Como você se descreveria?

Neste caso, as variáveis são você mesmo, a companhia para a qual você trabalhará e a posição à qual você está se candidatando. Considere tudo isso e ofereça seus pontos fortes em poucas frases.

 

  1. O que você faria se seu chefe estivesse errado?

Diga que depende da situação e da personalidade do chefe. Se possível, dê exemplos concretos.

 

  1. Se eu perguntasse às pessoas que você conhece por que você deveria ser contratado, o que elas diriam?

“Seguramente, eles justificariam minha contratação pelo fato de eu ter as qualidades necessárias para este emprego e pela minha experiência neste ramo.”

 

  1. Qual o tipo de ambiente de trabalho no qual você prefere trabalhar?

Diga que você pode ser flexível e pergunte como é o ambiente de trabalho na empresa. Depois, responda qual você prefere usando as palavras chaves proferidas pelo recrutador.

 

  1. Existe algo mais que você gostaria de saber sobre o trabalho e a companhia?

É a hora do recrutador escutar você. Faça perguntas pertinentes. Aqui estão alguns exemplos do que NÃO perguntar: “eu consegui o emprego?”, “quando são minhas férias?”, “eu posso mudar meu horário de trabalho?” e o pior “o que esta empresa faz?”.

 

  1. Conte por que você quer trabalhar aqui.

É importante que você tenha pesquisado antes sobre a empresa. Uma vez que você a conhece, compare o que ela e pode oferecer com as suas habilidades, objetivos e metas futuras.

 

  1. O que você busca na sua próxima posição?

Você pode perguntar “qual é o caminho normal de alguém que trabalha na minha posição?” A partir desta resposta, a partir das palavras-chaves que o recrutador tenha mencionado.

 

  1. Quais são as suas paixões?

Com esta pergunta, o entrevistador quer saber um pouco da sua vida. Não precisa necessariamente citar algo relacionado ao trabalho, mas certifique-se de que você não citou nada que possa atrapalhar seu futuro emprego.

 

  1. Quais são suas metas para o futuro?

Relacione suas metas com a empresa e com a sua profissão. Ou seja, você gostaria de aprender e contribuir para uma empresa deste porte e crescer dentro da minha área.

 

  1. Quais são seus requerimentos salariais?

Isso depende da situação na qual você se encontra na vida pessoal e na própria entrevista. Se você estiver precisando, não arrisque fazer muitos requerimentos. Em contraposição, se você sentir que a empresa quer muito você, renegocie seu salário.

 

  1. O que você pode fazer para esta companhia?

Assumindo que você tenha pesquisado sobre a empresa, junte suas habilidades, metas, objetivos e competências com o que você conhece sobre a companhia e faça a sua resposta pessoal.

 

  1. No que você pode contribuir para esta empresa?

Dê exemplos concretos das suas antigas contribuições com a sua antiga empresa e relacione-as com o que você pode oferecer no futuro.

 

  1. Quais desafios você busca no próximo trabalho?

Responda que você procura desafios que façam você crescer e que você resolva com as habilidades que possui. Não esqueça de dizer que você se sente motivado por desafios, não assustado.

 

  1. O que te agradava e o que você não gostava no seu último emprego?

Não exagere ao falar mal demais na sua antiga empresa, porque o recrutador pode achar que você pode fazer o mesmo no futuro. Considere falar sobre você e seu estilo para que o próprio entrevistador perceba que você se adaptará bem ao emprego no qual você está se candidatando.

 

  1. O que você espera de um supervisor?

“Eu aprecio ambientes de trabalho nos quais os supervisores têm um contato mais próximo e pessoal com seus colegas, longe de favoritismo e conscientes das necessidades e facilidades de cada funcionário.

 

  1. Quais são as decisões mais difíceis de tomar?

Esta pergunta é comportamental e, por isso, não há um certo ou errado para ela. Você será avaliado pela lógica com que as enumera e a forma como resolveu esses problemas.

 

  1. O que você aprendeu a partir dos seus erros?

Neste caso, dê exemplos de algo que deu errado e que você você corrigiu depois.

 

  1. O que te interessa neste trabalho?

A melhor forma de responder a esta questão é descrever a própria vaga. Se você está interessado mesmo na vaga, isso funcionará como saída.

 

  1. Qual é sua maior força?

Descreva qualidades que te façam apto para preencher o perfil que a empresa procura.

 

  1. Qual é sua maior fraqueza?

Ofereça exemplos de defeitos não tão ruins assim. Como urgência para terminar o mais rápido possível os projetos, ou necessidade de checar 3, 4 vezes uma tarefa.

 

  1. Quais foram os maiores desafios pelos quais você passou?

Certifique-se de oferecer exemplos concretos de como você lidou uma situação complicada e particular.

 

  1. Quais foram os maiores problemas que você encontrou nos antigos empregos?

Descreva algum problema, mas não seja exagerado demais. Não se esqueça de citar algo que, embora desafiador, foi resolvido.

 

  1. Qual foi sua maior contribuição (e fracasso) na última posição em que se encontrava?

Se você trabalhava bem, não terá problema em falar sobre contribuição. Mas não esqueça de citar mais de uma, exemplos são sempre válidos.

 

  1. O que foi mais (e menos) gratificante na sua última posição?

Novamente, dê exemplos concretos; mas, na hora de falar sobre o que era pouco gratificante, tire vantagem disso: explique como você foi paciente, persistente e inteligente para lidar com essas situações e ainda trabalhar com eficiência.

 

  1. Suas experiências são relevantes para este trabalho?

Neste caso, seja específico na sua experiência. A melhor forma de responder é descrever suas antigas responsabilidades e conectá-las com o trabalho no qual está se candidatando.

 

  1. O que você faria se não conseguisse mais ofertas de emprego?

É importante responder que você se comprometerá a essa empresa se conseguir o emprego e, se não achar mais nenhum, refletiria se estava no campo certo e, após a reflexão, decidiria o que fazer.

 

  1. Por que você está deixando seu trabalho?

Se sua saída foi tumultuada, seja honesto e tente concentrar a conversa no futuro. Mas não fale mal do seu chefe, não justifique sua saída porque ele não era carismático ou algo assim.

 

  1. Por que você quer este emprego?

“Esta empresa é o lugar onde minhas qualificações podem fazer a diferença. Por exemplo, na outra empresa…” e conte um caso onde você fez a diferença.

 

  1. Por que você se demitiu?

Em geral, a melhor saída é explicar que você não tinha mais o que aprender e que as suas chances de crescimento eram mínimas e você queria ir adiante.

 

  1. Por que você foi demitido?

Primeiramente, diga que suas competências não batiam com o lugar onde você trabalha e, em seguida, explique que é nesta empresa onde você poderá explorar melhor suas qualidades e interesses.

 

  1. Por que você largou este emprego?

Esclareça que você enxergou esta empresa como lugar correto para crescer e dar o seu melhor, em vez da última na qual estava.

 

  1. Por que deveríamos te contratar?

Dê exemplos concretos do que você fez e do que pode fazer. Na hora de explicar como será útil para a empresa, fale sobre seu conhecimento na área e da sua experiência no assunto.

 

  1. O que você sabe sobre esta empresa?
    Não seja pego desprevenido. Pesquise sobre a empresa antes e não reproduza fofocas sobre a companhia, como “ouvi dizer que ganham bem aqui”, ou “ouvi dizer que se trabalhar até tarde aqui”. Mesmo se essas fofocas forem verdade, se você está numa entrevista para trabalhar lá, é porque ou está de acordo com o que se comenta ou porque não acredita nos rumores. Dividir isso com o recrutador não será útil a você.

 

Confira mais dicas para sua carreira aqui 

Criar um blog ajuda na carreira

criar-um-blog-de-empresaAlém de uma ferramenta para expressar-se sobre os assuntos do quotidiano, administrar um blog pode te ajudar a construir uma presença online e ser um instrumento importante na carreira. Os blogs são ainda uma ótima maneira de construir uma marca pessoal e auxiliar na procura de um emprego. Confira algumas razões: 

 

Networking
Entrando em contato com outros profissionais da área, você terá oportunidade de conhecer pessoas novas. Contatos que estão na sua área e que são especialistas nela, o que faz com que estas amizades sejam estratégicas no que diz respeito a oportunidades.

 

Aumento e divisão de conhecimento
Se o blog tem um conteúdo útil, que acrescenta algo aos leitores, se tornará conhecido rapidamente entre as pessoas que se encontram na área de interesse. Construindo um nome, compartilhando os conhecimentos fará com que você entre em contato com pessoas que também dominam o assunto, proporcionando o intercâmbio de ideias.  

 

Extensão do currículo
Se o recrutador quiser saber mais sobre você, poderá consultar o seu blog. É uma maneira estratégica de estender o contato e demonstrar suas capacidades ao recrutador.

 

Confira mais dicas para sua carreira aqui 

Como incluir sua competência com redes sociais no currículo

Business-Social-Media2Alguns profissionais afirmam nos seus currículos que são verdadeiros experts das redes sociais. Essa afirmativa pode prejudicar a sua candidatura a uma vaga. O ideal é adaptar suas competências deixando claro para o recrutador quais são as suas reais aptidões de acordo com os requisitos solicitados. Veja como incluir esta aptidão no seu currículo de forma mais satisfatória.

1. Descreva suas habilidades de maneira adequada
Se intitular como um especialista em redes sociais não é a melhor maneira de chamar a atenção das empresas. Dizer que tem experiências e resultados profissionais na área, é o mais aconselhável. Isso deve ser colocado através de exemplos e de dados acessíveis aos recrutadores.

 

2. Relate sua experiência de acordo com as necessidades da empresa

Cada empresa irá solicitar determinados requisitos para os candidatos de acordo com sua necessidade. Com esses dados pode-se personalizar o currículo para a vaga em questão. Relate a partir de resultados concretos, e não colocando apenas informações irrelevantes.

 

3. Entenda a diferença entre o profissional e o pessoal

Qualquer pessoa hoje com acesso à internet pode ter experiência com as redes sociais. No entanto somente profissionais de Comunicação saberão usá-las da forma como as empresas procuram. Se você disser que tem experiência com redes sociais sem identificar que tipo de trabalhos realizou, dificilmente seu currículo será levado em consideração.

 

Confira mais dicas para sua carreira aqui 

Tenha seu currículo em uma segunda língua

resume-and-pen-close-up

O mundo está cada vez mais globalizado e, certamente saber falar um segundo idioma tornou-se requisito básico no mercado de trabalho. Até poucos anos visto como um diferencial, atualmente é fundamental para quem quer conseguir sucesso em sua área de atuação. As companhias nacionais cada vez mais estabelecem relações com empresas estrangeiras e é cada vez maior a presença de empresas estrangeiras no país, o que faz crescer a necessidade de ter colaboradores fluentes em outro idioma.

Ter um currículo em outro idioma pode aumentar suas chances de seleção para vagas e provavelmente você já deve ter sido chamado para uma entrevista onde foi interrogado sobre o seu nível de proficiência na língua. Se apresentando profissionalmente em outra língua, o candidato demonstra sua habilidade e sua disposição para trabalhos versáteis.

Utilizar modelos prontos ou buscar um tradutor on-line automático para traduzir seu currículo não é a melhor opção. Os tradutores on-line funcionam com traduções lineares e objetivas, sem contar com as especificidades da língua e do mundo corporativo. Na verdade NUNCA, em hipótese alguma, use o Google Translator para traduzir nenhum documento importante porque ele traduz ao pé da letra, sem concordância e gênero. O ideal é que o candidato tenha o seu currículo traduzido que além de dominarem o idioma, conhecem as terminologias técnicas, nomenclaturas, variedades linguísticas e características que chamam a atenção dos headhunters.

A COUT oferece serviço de tradução de currículo com altíssima qualidade. Seu currículo será traduzido com perfeição por um profissional com experiência nessa área, fazendo uso adequado das expressões em inglês, indo muito além de uma simples tradução literal. 

Impressione empresas e headhunters com um currículo em outra língua bem elaborado e amplie suas possibilidades no mercado de trabalho!

____________________________________________________________

Fazemos tradução de Currículos para o inglês e espanhol.

Consulte

 

 

MEI: uma boa alternativa para o profissional freelancer

Cada vez mais cresce a exigência de notas fiscais para quem presta serviços como freelancer. As empresas precisam prestar contas ao governo e as notas acabam sendo indispensáveis para a contratação de profissionais autônomos. Para o freelancer também é um modalidade interessante pois garante alguns benefícios como: aposentadoria, auxílio doença, a formalização e além disso pode ser um diferencial de mercado, pois algumas empresas podem considerá-lo mais profissional pela possibilidade de emitir notas. Uma das formas mais fáceis, rápida e econômica que um freelancer tem de se tornar (PJ) Pessoa Jurídica é o MEI (Micro Empreendedor Individual). Vejamos como funciona.

 

Requisitos

  • Faturamento de até 60 mil reais/ano
  • Não ter participações em outra empresa, seja de forma direta ou como sócio
  • Trabalhar sozinho ou ter até no máximo (1) um funcionário
  • Não possuir filial

 

Benefícios

  • Permite o empreendedor de negociar em condições de igualdade com outras empresas e com o Governo, facilitando a conquista de clientes.
  • Redução dos custos na contratação de funcionário.
  • Possibilidade de abrir conta empresarial.
  • Acesso a benefícios previdenciários, como aposentadoria, auxílio doença e salário maternidade.
  • Possibilidade de segurança jurídica.
  • Acesso a linhas de créditos específicas, com juros mais baixos.
  • Você não precisará pagar nota fiscal em suas vendas, caso seja realizado para uma pessoa física. Terá de fazê-lo apenas no caso do seu serviço/venda for realizado para um pessoa jurídica (empresa). Se a empresa optar por emitir sua própria nota fiscal de entrada, o empreendedor individual não terá de emitir a nota de venda.
  • O empresário não tem obrigação de ter um contabilista próprio. Mas precisará ter um controle de faturamento para que possa prestar a Declaração Anual do Simples Nacional (Dasn).
  • Caso tenha um funcionário, necessita de entregar também a Relação Anual de Informações Sociais (Rais), que pode ser feita aqui.

 

Os benefícios previdenciários começam apenas alguns meses depois da sua inscrição. São eles:

  • Salário-maternidade (depois de dez contribuições mensais),
  • Auxílio-doença (12 contribuições mensais),
  • Aposentadoria por invalidez (12 contribuições mensais),
  • Aposentadoria por idade (Mulher aos 60 anos e homem aos 65 e depois de 180 contribuições)
  • Pensão por morte (a partir do momento do cadastro).

 

Despesas

O Microempreendedor Individual – MEI tem algumas despesas legalmente estabelecidas. São elas: o pagamento mensal de R$ 36,20 (INSS), acrescido de R$ 5,00 (Prestadores de Serviço) ou R$ 1,00 (Comércio e Indústria) por meio de carnê emitido através do Portal do Empreendedor, além de taxas estaduais/municipais que devem ser pagas dependendo do estado/município e da atividade exercida.

O MEI que tenha um empregado, terá um custo mensal de, no mínimo, R$ 690,42. Isto porque apesar de poder pagar o salário mínimo, o empreendedor ainda terá de fazer o desconto para a Previdência Social (18,66 reais) e para o FGTS (49,76 reais). Além disso, deverá fazer o pagamento do 13º mês, férias ou horas extra.

O pagamento desses valores é feito por meio do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS), que pode ser gerado por qualquer pessoa em qualquer computador conectado à internet. O pagamento deve ser feito na rede bancária e casas lotéricas, até o dia 20 de cada mês. O cálculo feito pelo Estado tem como base o salário mínimo nacional.

 

Como fazer

Acesse o Portal do Empreendedor e tenha consigo os seguintes documentos:

  • Número de documento de identidade
  • CPF
  • Endereço

Durante o preenchimento, você terá de aceitar o Termo de Ciência e Responsabilidade. Depois de fazer a sua inscrição, o CNPJ e o número de inscrição na Junta Comercial são fornecidos imediatamente. Durante o prazo de 180 dias o empreendedor poderá utilizar um título provisório, que irá passar a definitivo caso seja aceito ou caso seja recusado, deixará de ser ativo ao final desse prazo. Esse procedimento não tem custo algum. Porém, quando tiver a autorização, o empresário começará a pagar mensalmente as despesas anteriormente citadas.

Atenção!! Quando o empreendedor ultrapassar os 60 mil reais por ano de receita, ele deve formar uma microempresa, cumprindo as novas obrigações do Simples Nacional.

 

Caso precise de um guia para auxiliar durante o processo acesse aqui o Manual para aquisição do MEI.

 

Confira mais dicas para sua carreira aqui 

“O site é uma ferramenta bem efetiva para quem busca profissionais de Comunicação e presta um grande serviço tanto para os profissionais quanto para as empresas”

Patricia Buarque e Denise Delalamo

“Eu consegui um emprego por meio do site. Muito bom! Eu tinha cadastro em outros sites, mas nunca virava nada. O site realmente foi bom”

Daniel Costa

“recebemos um número grande de CVs e muito deles aproveitados para processos ou para banco de cvs”

Flavia Venancio

“Achei o serviço do site excelente. As vagas são bem específicas e a qualidades delas foram além das minhas expectativas. Em menos de uma semana de assinatura consegui a minha primeira entrevista, onde fui contratada”

Verônica Schneider

“A divulgação foi excelente tivemos um bom resultado, várias pessoas enviaram curriculo e fizemos várias entrevistas. Para resumir, o nosso objetivo foi alcançado, o site é de grande importância. Parabéns.”

André Rocha

“Gostaria de agradecer pelas vagas sob medida. Consegui uma nova oportunidade e inicio amanhã. Isso significa que a sua iniciativa é eficaz e capaz de ajudar os profissionais de comunicação a encontrarem melhores colocações no mercado de trabalho”

Annally Lima

“Eu recebi alguns currículos, a maioria interessante, entrevistei algumas pessoas e devo fechar a vaga hoje. Agradeço a ajuda. Entre os três candidatos finais, um veio através do blog. Espero poder contar sempre com a ajuda de vocês para outras oportunidades”

Angie Diniz

“Só tenho a agradecer pelo serviço de vocês. Fui contratada na última semana e estou extremamente feliz com o retorno positivo”

Claudia Mendes

“Gostei muito da prontidão na divulgação das vagas e o retorno foi bastante positivo. Recebi vários currículos em pouco tempo e consegui chamar muitos candidatos para a entrevista.”

Karoline Paiva

“Gostaria de dizer que achei excelente o trabalho realizado! Assinei o site no dia 2/9. No mesmo dia fui chamada para uma entrevista e no dia 3/9 iniciei o novo emprego. Obrigada por divulgar vagas realmente verdadeiras! Parabéns”

Andressa Dantas

“É notável que o site tem tido um número elevado de visitas face a grande quantidade de currículos que recebemos. Para nós, foi ainda mais fácil mensurar, visto que publicamos as vagas somente no site. (…) posso afirmar que é um canal viável tanto para empresas quanto para profissionais que buscam recolocação ou inserção no mercado da comunicação.”

Diego Pudo

“O serviço é muito eficiente, com vagas sempre novas. Através do site encontrei meu novo emprego.”

Luiza Santana Aragão

“Estou muito satisfeita com o serviço prestado por vocês, nos ajudaram a rankear no Google, revertendo em muitos e bons currículos! Muito obrigada e em uma próxima, com certeza pretendo contar com o excelente serviço da Cout!”

Larissa Moutinho

“Consegui um emprego. Achei muito legal o site, de verdade. Vale mais a pena assinar esse serviço que o Catho.”

Bruna Pazini

“Estamos muito satisfeitos com os resultados obtidos pela divulgação de vaga no site. Conseguimos ótimos currículos e pudemos concluir nosso processo de seleção. Contratamos 2 funcionários por esta ferramenta.”

Silvia Lopes

“Muito bom. Objetivo e qualificado. Me deixou em contato com as melhores agências do mercado.”

Rodrigo Dutra

“Estamos muito satisfeitos com o retorno que tivemos com a divulgação das vagas de jornalista e fotógrafo na Cout. Num curto espaço de tempo, recebemos vários currículos de candidatos bastante capacitados e já estamos fazendo uma pré-seleção dos profissionais. Agradecemos à equipe do site por ter publicado as oportunidades de emprego da Partnersnet e esperamos poder contar com vocês novamente em outras ocasiões!”

Daniela Nunes

“Segui as dicas de aprimoramento de currículo e tive bons feedbacks de empregadores. Em quatro meses de assinatura conquistei uma ótima oportunidade de trabalho. Vale ressaltar ainda que o valor pago no serviço é bem menor que o valor cobrado em vários serviços de busca de empregos. Além disso trata-se de um meio focado em Comunicação. No momento deixo o site e pretendo me dedicar ao novo emprego e, futuramente, se pensar em mudar de trabalho certamente voltarei ao blog.”

Elton Amorim

“A divulgação no site teve bom resultado, recebi bons currículos através da divulgação na Cout, muitos deles exatamente dentro do perfil que eu desejava. Inclusive, já até fechei a vaga com uma das candidatas”

Tatiana Cioni

“O trabalho de vocês é muito bom, fiz algumas entrevistas por meio de vocês e desejo muito sucesso!”

Amanda Camargo

“A divulgação de vocês foi excelente, muitos candidatos disseram ter visto a vaga no site. Já selecionamos o novo editor e, portanto, já podem tirar o anúncio. Pretendo divulgar novos processos no site!”

Igor Camargo

“Um dos melhores serviços que já utilizei, rápido, fácil e ótimo retorno!”

Marco Rangel

“O site auxiliou muito a RZT Comunicação no processo de recrutamento de profissionais e estagiários. Através dele, recebemos diversos currículos, com vários perfis de candidatos.”

Almir Rizzatto

“Achei ótimo! Consegui um recolocação rapidamente! Indico para todos os colegas.”

Claudia Regina dos Santos

“Gostaria de agradecer pela oportunidade e te dar o feedback, que a qualificação dos candidatos é muito boa e a quantidade de CV recebidos foi maior do que esperávamos, ainda estamos selecionando para a próxima fase. Espero que seja o início de uma parceria de sucesso.”

Valquíria Farias

“Organizado, atualizado e de fácil utilização. Diversidade de vagas muito boa.”

Natalia Guerra

“Sempre muito eficiente, a Cout auxilia as agências na busca por profissionais de comunicação. É uma ferramenta importante para as empresas e para os profissionais da área.”

Ana Paula Soares

“Gostaria apenas de compartilhar que consegui um novo trabalho por meio do seu site, uma vaga que provavelmente eu não teria acesso, já que não seguia a empresa nas mídias sociais e ela não tem força na marca, ainda que seja uma ótima empresa. Desejo que o site cresça cada vez mais e tenha muito sucesso. Obrigada!”

Carolina Simões

“O site foi muito eficiente e rendeu candidatos qualificados para a vaga. Conseguimos contratar um profissional e estamos muito satisfeitos”

Joyce Pais

“Achei o serviço bastante direto e com vagas interessantes. Indico a Cout para todos meus contatos e amigos da área de comunicação.”

Lucilene Brito

“O resultado é bem positivo, recebemos bons candidatos. E já contratamos profissionais através da Cout”

Hosana Pinheiro

“A Cout, com sua ampla oferta diária de vagas por um custo pequeno, é uma grande ferramenta para profissionais de comunicação obterem emprego. Já consegui duas vezes recolocação no mercado de trabalho jornalístico por meio de seu boletim, sendo a última nesta semana, e com uma proposta de cargo que não imaginava possível atualmente!”

Mauricio Kanno

________________________________________________________________________________________________________________________________________

Alguns anunciantes de vagas